top of page

Síndrome fúngica (além da candidíase): Você pode ter e não saber



Somos hospedeiros de inúmeros microorganismos, dentre eles os fungos. Eles habitam em nossos intestinos e na vagina, em sua grande maioria.


E não há problema nisso. O problema é quando existe uma multiplicação exacerbada desses microorganismos, que podem causar sintomas que podem variar com o tempo aleatoriamente, em diversos órgãos, de forma individual e com intensidades diferentes.


Em um organismo saudável, existe um equilíbrio entres as boas bactérias e as patogênicas e os fungos. Esse desequilíbrio gera um processo chamado disbiose intestinal, pois ocorre no intestino.

O processo que leva a uma proliferação exacerbada dos fungos acontece depois que o equilíbrio da microbiota intestinal foi alterado, associado a uma predisposição individual.


O sintoma mais claro que temos é a candidíase, que atinge muitas mulheres, mas você pode ter excesso de fungos sem desenvolver uma candidíase.



Quais sintomas podem indicar uma possível proliferação de fungos?


Os sintomas se manifestam em diversas áreas do organismo, como:


Sistema digestivo: flatulência, distenção abdominal, constipação, diarréia ( ou alternância entre os dois), azia, coceira na garganta, aftas, sapinho, náuseas, vômitos, boca seca.

Sistema nervoso: enxaqueca, fadiga anormal, obsessão, ansiedade, mudança de humor, sonolência, compulsividade, falta de saciedade, fome noturna, falha na memória, comportamento agressivo, distúrbio de concentração ou aprendizado, depressão e insônia,

Autismo, hiperatividade, distúrbio de concentração e aprendizado e depressão bipolar podem ser manifestações de crescimento fúngico.


Pele: urticária, psoríase, eczemas, coceiras, escamação, dermatite, dermatite seborréica


Trato geniturinário: cistite, urgência urinária, infecções urinárias frequentes, candidíase vaginal de repetição, alterações no ciclo menstrual, síndrome pré-menstrual com sintomas como depressão, alteração do humor, inchaço, retenção hídrica, cólica, desejos por doces e dor de cabeça. Em homens, problemas como coceira retal ou anal, prostatites recorrentes, impotência, erupções cutâneas, diminuição da libido, escamação e vermelhidão na virilha.


Outros sistemas: Bronquite asmática, boca seca, pigarros, fibromialgia, edemas, artrite reumatóide, lúpus, imunodepressão e processos alérgicos.


Não estou dizendo que todas as pessoas que tem esses sintomas tem a síndrome fúngica.

Mas esses sintomas, especialmente quando são frequentes e sem causa aparente, podem vir da disbiose, que precede a síndrome fúngica.


Fica muito clara a proliferação dos fungos na candidíase e micoses, mas eles podem sim, estar proliferados sem manifestar esses sintomas óbvios, como os citados acima.


Na nutrição funcional, o intestino é um órgão muito importante, não apenas pelo citado acima, mas também porque é nele que iremos absorver os nutrientes e produzir algumas substâncias importantes.


Pois bem, e o que fazer ?


Alimentação


A alimentação é fundamental, tanto no tratamento quanto na prevenção . Os fungos se alimentam e se proliferam principalmente de açúcar , lactose, proteínas de difícil digestão como do leite, da soja, do trigo, do centeio e da cevada. . Algumas pessoas tem também sensibilidade aos cítricos ( laranja, limão, mexerica, laranja lima), álcool e a arabinose da maçã.


Alimentos que contenham fungos , principalmente devido as condições de armazenamento, como as oleaginosas ( principalmente o amendoim), frutas secas, azeitona, produtos em conserva, levedo de cerveja e alimentos prontos que ficam muito tempo na geladeira.


Além disso, melhorar a saúde intestinal com o uso de probióticos e prebióticos, diminuir ou eliminar o consumo de alimentos ultraprocessados, controlar o estresse modular o sistema imunológico e tratar as alergias individuais ( caso haja)




Outra dica é o consumo de óleo de coco e óleo de orégano, ou mesmo o coco e o orégano. Inclui-los no dia a dia é ótimo para a prevenção e aumentar o consumo no tratamento.


Essa síndrome começou a ser falada após o livro da nutricionista Denise Carreiro, com o mesmo título e foi deste que busquei as informações deste artigo.


46 comentários


Karina Kayser
Karina Kayser
29 de set. de 2023

Ficou muito feio a parte que cita “autismo”. Deveria rever sua escrita sobre.

Curtir
Rafael Valverde
Rafael Valverde
11 de jan.
Respondendo a

Verdade não entendi

Curtir

Andreia Capra Cardias
Andreia Capra Cardias
20 de jan. de 2023

Obrigada por compartilhar, conteúdo riquíssimo e muito esclarecedor, sofro a 15 anos com inchaço nas articulações, alergia severa na pele, descamação, coceira, ardência, sinto meu corpo inchar por dentro, irritabilidade candidíase que vem e vai, muito triste viver assim, já passei por vários dermatologistas, que me passam pomadas que amenizam mas não curam 😭minhas unhas estão fracas descolando e muito doloridas, vou me atentar a tudo que falou, mas preciso de um médico com sua visão, como a colega citou a cima, talvez não tenham conhecimento desta síndrome, e acabam nos enchendo de medicamentos que não curam e desencadeiam outros sintomas 😢


Curtir
Daniela Dos Santos Ferreira
Daniela Dos Santos Ferreira
01 de dez. de 2023
Respondendo a

N sei se isso vai ajudar.


Faça uma dieta levada para cetogenica, dando preferência p alimentos de fácil digestão, ingerir no máximo 20g de carboidrato, retira lacticínios e açúcares, sim restringir geral...

O fungo tem seus alimentos preferidos, que fazem eles proliferaram no seu organismo.


Pesquise sobre eles, e retire do seu cardápio. Há pessoas q seguem a risca por um período, depois fica mais flexível.

Mate o fungo de fome...

Se não tiver alimento q fortalece ele, ele some do seu corpo....


Tome prognóstico, ex: PROVANCE, perfeito!

Beba bastante água, tome sol pelo menos 10 min por dia, pratique uma atividade física, durma até as 22:30 , tenha um rotina saudável.


Para mim deu certo.

Curtir

Ótimo. Devo ter tido todos os sintomas acima a vida inteira. Mas o mais visivel alergias de pele, respiratoria, digestão terrível. Nunva bebi, fumei. Sempre comi saudavel por opcão, porém comia doce. Mas tudo sempre integral, orgânico, menos processado possivel. Médicos nunca me ajudarão . Parei no decorrer da vida com vàrios alimentos, e ou usando a versão mais saudavel. Bom em setembro de 2021 tive um momento mágico de pensar que talvez tivesse intolerância a gluten. E mesmo comendo 2 pedaços de pão integral com fermento natural por dia isto me fazia mal. Já não comia pão branco ou pasta por 20 anos, laticinios tb. Resultado, que depois de parei com o gluten o minha saúde melhorou muito.…

Curtir

Marcelo Serantes
Marcelo Serantes
13 de ago. de 2022

Tenho todos sintomas , os mais evidentes falta de ar e feridas que aparecem no couro cabeludo. Tive péssimos hábitos alimentares. Nenhum médico ou medicamento resolve meus problemas. Meu capacete da moto onde tenho as feridas ficaram com manchas pretas de mofo. É algo de dentro para fora do corpo que afeta pele e membranas. Tenho foliculite e esofagite, ou seja Problemas de pele membranas e asmas antibiótico não resolve nada

Curtir
Denize Scalabrin
Denize Scalabrin
06 de dez. de 2022
Respondendo a

Vc já pensou em fazer uso de Óleos essenciais? Além de melhorar a alimentação, é claro.

Curtir

Sofro a mais de 15 anos com problemas intestinais e estomacais, passei com mais de 8 gastros,todos os medicamentos tomados não surgiram efeitos benefícios nenhum..Tenho quase todos os sintomas relacionados na matéria...agora que estou ouvindo falar de síndrome fungicas..os médicos só fazem o arroz com feijão, e os pacientes sofrem..sobrevivem anos com problemas por falta de informações!!

Curtir
Respondendo a

Eu estou com sintrome fúngica estou fazendo tratamento com nutricionista sofri muito com coceiras em varias partes do corpo ,candiadise,disbiose intestinal ,depressão por conta de tudo isso minha alimentaria era ruim, agora estou cuidando mais daalimentação e fazendo exercícios cousa que eu não fazia, desintoxicando o meu corpo tive que parar de comer coisas doces e sem leite sem gluten comendo muitas coisas verdes e vermelha estou com poucos dias de tratamento mais já noto diferença.

Curtir
bottom of page