Consciência Alimentar



Nossas escolhas alimentares podem ser baseadas em nossas emoções e nossas emoções podem ser afetadas pelas nossas escolhas alimentares. Somos todos bioquimicamente únicos. Nossa fisiologia é profundamente impactada pela nossa mente e emoções, e há uma ciência fascinante por trás de tudo.


Vivemos tempos em que estamos sobrecarregados de tantas informações contraditórias nas mídias, do universo virtual e uma longa lista de especialistas que nos dizem o que comer e a ter autocontrole.


Muitas pessoas estão ficando confusas com tanta informação diferente sobre alimentação. A mensagem passada é que se não temos o corpo perfeito, o peso perfeito, se não nos alimentamos de maneira saudável ou fazemos a dieta perfeita, e se não temos interminável energia, claramente estamos fazendo algo errado.


Os danos causados por essa confusão e alienação da própria natureza do corpo pode causar desequilíbrios como: distorções da imagem corporal, compulsões, mentalidade de dieta, comer emocional, problemas digestivos, alterações do humor, desequilíbrio de peso fatigue, dentre outros.


Nossa digestão, assimilação, queima de calorias e todas as funções do corpo são afetadas pela mente, emoções e estilo de vida. Pensamentos, sentimentos, crenças, estresse, relaxamento, prazer e consciência influenciam diretamente como metabolizamos uma refeição.

Isso nos mostra como o que comemos é apenas metade da história da boa nutrição. A outra metade da história é quem somos como comedores.


A consciência alimentar é alcançada por meio de um trabalho que envolve a reeducação alimentar.


Este processo, permite que o indivíduo seja capaz de realizar boas escolhas alimentares a partir do entendimento das funções de cada alimento e de seu impacto no organismo.


É um processo que requer conhecimento e técnica, por isso, para alcance de melhores resultados, deve ser feito com um profissional de nutrição.


Autoconhecimento


O autoconhecimento é a chave principal para o sucesso em qualquer processo de mudança de hábitos. É necessário que saibamos porque fazemos o que fazemos e para onde estamos indo com isso.


Aprender a observar nossa mente e nossas reações, a observar como nosso corpo reage aos diferentes alimentos, em momentos diferentes do dia, nos dá autonomia sobre nossa saúde.


Podemos chamar de auto desconhecimento também, uma vez que frequentemente precisamos descontruir a ideia de nós mesmos.


Alguns sintomas são uma maneira que encontramos de lidar com nossas dores e nosso traumas; com tudo aquilo que nos afeta. Muitas vezes voltamos essa energia para a comida e algumas vezes se transforma em algum transtorno alimentar.  


Para percorrermos esse caminho profundo é preciso paciência e disposição. Desenvolver autocompaixão, estar aberta a voltar a lugares talvez dolorosos e esquecidos. 


É um caminho bonito e eu tenho muito prazer em fazer parte dessa jornada com minhas pacientes.


Entre em contato comigo e agende sua consulta para que eu possa ajuda-lo(a) a ter uma vida mais saudável e feliz.


Soraya Costa

Nutricionista e Psicanalista

CRN 320926